23 dicas de como desenvolver sua história

23 dicas de como desenvolver sua história

Anos atrás vi essa série de twits de Emma Coats, que já trabalhou como escritora em empresas incríveis, entre elas a Pixar e Google. Na série #StoryBasics ela deu algumas dicas que aprendeu na sua época de Pixar com diretores, escritores e colegas de trabalho sobre a arte de contar histórias.

23 dicas de como desenvolver sua história

Para quem esta acompanhando as outras dicas de escritores e a introdução ao enredo baseadas no livro de Ronald B. Tobias, com certeza perceberá as semelhanças entre algumas dicas aqui e outras que já lemos antes. Mesmo assim, vamos conhecer o que Emma tem a dividir?

1. O público admira mais um personagem por suas tentativas do que pelo seus sucessos.

2. Você deve ter em mente o que é interessante para o público, não o que é divertido para o escritor. As duas coisas podem ser bem diferentes.

3. Tentar seguir um tema é importante, mas você não verá o que a história é realmente até chegar ao fim. E aí é a hora de reescrever.

4. Era uma vez ___. Todo dia, ___. Um dia ___. Por causa disso, ___. Por causa disso, ___. Até que finalmente ___.

5. Simplifique. Mantenha o foco. Combine personagens. Pule os desvios. Você sentirá que está perdendo coisas valiosas, mas isso o libertará.

6. No que o seu personagem é bom, com o que se sente confortável? Jogue exatamente o oposto nele. Desafie-o. Como ele lida com a adversidades?

7. Crie o final antes de descobrir o meio. De verdade. Os finais são difíceis, então comece trabalhando no seu.

8. Termine a história e a deixe ir, mesmo que não esteja perfeita. Faça melhor da próxima vez.

9. Quando você está empacado, faça uma lista do que não aconteceria a seguir. Muitas vezes aquilo que você precisa para desempacar vai aparecer.

10. Analise as histórias que você gosta. O que você gosta nelas é uma parte de você, e você tem que reconhecer essas partes antes de poder usá-las.

11. Colocar a idéia no papel permite que você comece a trabalhar. Se a idéia ficar na sua cabeça, mesmo que perfeita, você nunca compartilhará com ninguém.

12. Discarte a 1ª coisa que vem à mente. E a 2ª, 3ª, 4ª e 5ª – tire o óbvio do caminho. Surpreenda-se.

13. Dê opiniões aos seus personagens. Passividade/maleabilidade podem parecer agradáveis enquanto você escreve, mas é veneno para o público.

14. Por que você deve contar ESSA história? Qual é esta crença que esta te queimando e que alimenta a história? Esse é o coração da história.

15. Se você fosse seu personagem em tal situação, como você se sentiria? A honestidade dá credibilidade a situações inacreditáveis.

16. O que esta em jogo? Dê ao público uma razão para torcer pelo personagem. O que acontece se ele não tiver sucesso?

17. Nenhum trabalho é desperdiçado. Se não estiver funcionando, largue e siga em frente. Essa idéia voltará a ser útil mais tarde.

18. Você tem que conhecer a si mesmo, e a diferença entre fazer o seu melhor e enrolar.

19. Coincidências usadas para colocar os personagens em apuros são ótimas; coincidências para tirá-los do apuro é pura trapaça.

20. Exercício: pegue os “blocos de construção” de um filme/livro que você não gosta. Como pode reorganizá-los de uma maneira que você goste?

21. Você precisa se identificar com a situação/personagens, não pode simplesmente escrever algo modinha/cool. O que faria você se comportar como eles?

22. Qual é a essência da sua história? Consegue resumir ao máximo o que deseja contar? Se a resposta for sim, você pode começar a partir daí.

23. Esteja ciente das convenções e suposições que acompanham o gênero da sua história. Reconheça-os, subverta-os; mas não os ignore.

Lia
escrito por
Lia