10 dicas para escritores de J.K. Rowling

Como autora de uma das séries de livros mais conhecida no mundo e com mais do 400 milhões de cópias vendidas, podemos concordar que J.K. Rowling sabe bem do que esta falando quanto o assunto é escrever.

10 dicas para escritores de J.K. Rowling

Apesar de ter brincado com o reporter que lhe perguntou sobre as regras que escritores devem seguir, ela citou uma frase de W. Somerset Maugham “Só existem 3 regras que devem ser seguidas para escrever um livro. Infelizmente, ninguém sabe quais são.” Mesmo assim, J.K. Rowling tem dicas valiosas em suas entrevistas e no seu Twitter oficial que podem ser de grande valia para aqueles que desejam se aventurar no universo da escrita.

1. Seja implacável ao proteger seus dias dedicados a escrita. (…) O engraçado é que embora escrever tenha sido meu trabalho por vários anos, ainda tenho que lutar para ter tempo para fazê-lo. Algumas pessoas parecem não entender que eu tenho que sentar em paz e escrever os livros, aparentemente acreditando que eles surgem do nada.

Continue reading

Como escrever um livro: Checklist de Enredo

Abaixo tem uma checklist que pode te ajudar a situar o quanto sabe sobre a história que deseja contar, e assim descobrir qual enredo pode ser usar.

Se você puder responder todas questões abaixo, você já tem uma história, se não for possível responder tudo, pode ser que sua história ainda não esteja completa na sua mente.

Como escrever um livro: Checklist de Enredo

1. Em cinquenta palavras, qual é a idéia básica da sua história?

2. Qual é o objetivo central? Responsa com uma pergunta. Por exemplo, “Othelo vai acreditar em Iago sobre sua esposa?”

3. Qual é a intenção do seu protagonista? (O que ele quer?)

4. Qual é a motivação do seu protagonista? (Por que ele quer o quer?)

5. Quem ou o que está no caminho do seu protagonista?

6. Qual é o plano de ação de seu protagonista para realizar sua intenção?

7. Qual é o principal conflito da história? Interno? Externo?

8. Qual é a natureza da mudança do seu protagonista durante o curso da história?

9. Seu enredo é guiado por personagens ou ação?

10. Qual é o ponto de ataque da história? Onde você vai começar?

11. Como você planeja manter a tensão ao longo da história?

12. O que o protagonista fará no clímax e como isso o afeta?

Se deseja imprimir esta lista, baixe ela em .pdf, clicando aqui (link direto para o Dropbox).

Se você chegou aqui via busca, talvez a introdução que escrevi sobre enredos posse te interessar e esta aqui. Se deseja saber mais sobre os 20 enredos chefe, a lista esta aqui.

O livro 20 Master Plots de Ronald B. Tobias esta disponível em inglês pela Amazon.

Como escrever um livro: 20 enredos Chefe

Dando prosseguimento ao post anterior, chegamos finalmente aos 20 enredos. Note que no livro cada enredo ganhou um capítulo inteiro (com excessão do 19 e 20, que estão juntos), onde o autor dá diversas dicas e exemplos, uma explicação dos 3 atos e uma lista a ser ticada para ajudar o escritor. Eu fiz um resumo para não infringir nos direitos autorais, mas ainda assim transmitir a idéia central de cada enredo. A introdução que escrevi sobre enredos esta aqui.

Vale lembrar que Tobias diz que “O truque de aprender a usar o enredo não é copiá-lo, mas sim adaptá-lo às necessidades da sua história.” Então sinta-se livre para ajustar o enredo a sua idéia/história de maneira criativa.

Como escrever um livro: 20 enredos Chefe

1. Busca

O protagonista busca por algo tangível ou não, e que potencialmente vai mudar sua vida. É importante retratar o relacionamento do protagonista com o objeto da sua busca, e igualmente importante que este objeto tenha vários níveis de significado. Não pode ser apenas um anel, mas um anel que pertenceu a um parente distante que perdeu tudo na guerra e só conseguiu salvar este item.

No final não é exatamente o anel que o protagonista busca, mas sim uma sabedoria ou conhecimento que ele aprende/conhece/desvenda no final da narrativa.

Na Busca o protagonista geralmente tem um amigo e/ou companheiros que cuidam dos detalhes e cujas limitações contrastam com as qualidades do herói, além de servirem como espelho onde o protagonista projeta suas reflexões. E geralmente vemos um outro personagem que sempre esta por perto para ajudar o protagonista. Tobias menciona várias obras como exemplo, mas eu selecionei apenas algumas por questão de brevidade:

Dom Quixote, Miguel de Cervantes
As Vinhas da Ira, John Steinbeck
O Senhor dos Anéis, J. R. R. Tolkien

2. Aventura

Diferente da Busca, onde o foco é no protagonista que pode estar fazendo uma viagem, neste enredo o protagonista sai em uma aventura e o foco é na viagem em si. O desenvolvimento pessoal do protagonista ou sua mudança/aprendizado não são fundamentais, pois é a ação, a aventura, o principal. Tobias diz que o enredo da Aventura faz sucesso pois o público gosta de experimentar o exótico, um universo paralelo, um planeta, etc. Ele diz ainda que um romance pode fazer parte da aventura (muito clichê na minha opinião), mas não é uma obrigatoriedade.

Vinte mil léguas submarinas, Jules Verne
Robinson Crusoe, Daniel Defoe
Continue reading

Como escrever um livro: Intro ao Enredo

Uma das coisas que pode complicar a cabeça do escritor iniciante (e muitas vezes do experiente também) é como organizar sua história em um enredo que faça sentido. O que acontecia comigo era ter muitas idéias e a medida que meu protagonista ia tomando forma eu via dezenas de caminhos para ele, e como é impossível ter um protagonista detetive, que é também um excelente chefe e pai de 4 filhos que pinta obras primas e luta contra um terrível vilão e seu vício em anfetaminas (do contrário como ele conseguiria fazer tudo isso?) parecer crível e engajar meu público, aprender mais sobre enredo me ajudou a colocar os pés no chão e conter a história que eu queria contar.

Como escrever um livro: Enredo

O livro que me ajudou foi os 20 Master Plots (20 Enredos Chefe, tradução livre, 1ª edição 1993) de Ronald B. Tobias. Neste livro ele explica os 20 enredos que servem como fundação para milhares de obras literárias, cinematográficas e teatrais. Uns dizem que o número de enredos não pode ser contado, já Rudyard Kipling disse que existem 69. Carlos Gozzi disse que eram 36 e Aristóteles disse que só existem 2 enredos: os enredos de ação e os enredos mentais.

A cada capítulo Tobias analisa um dos 20 enredos e como foi usado em obras famosas, dando dicas de como usar o mesmo esqueleto de forma a melhorar a nossa obra. Infelizmente não achei o livro em português, mas para quem sabe inglês eu recomendo a compra. Abaixo eu resumi os pontos que mais me ajudaram na minha jornada como escritora.

Segundo Tobias, todo bom enredo tem 8 denominadores comuns.

1. A tensão deve ser o combustível

Um protagonista que deseja algo e consegue não é interessante. Ele precisa de obstáculos e explicações do motivo destes obstáculos.

2. A tensão é criada através da oposição

Existe diferença entre tensão curta e tensão prolongada. Tensão curta é um rapaz que pede uma garota em casamento e ela diz não. Tensão prolongada é um rapaz que tem um vicio em drogas e a garota não quer casar com ele por causa disso, então ele precisa lutar com seus problemas (por exemplo, por que ele usa drogas? o que o levou a isso?) e se livrar do vício para conseguir ficar com a garota.
Continue reading

Scroll to top